Webinar Alexandre Cordeiro | 20 Junho 2022 | 21h00

Suplementação alimentar e fitoterapia como "arma" para a dor e inflamação

O que nos mostra a evidência mais recente na condição neuro-músculo-esquelética

Resumo

O papel da osteopatia em casos agudos ou crónicos é (entre outros) diminuir a dor e a inflamação, estimulando a cicatrização e reparação dos tecidos. 

De acordo com a Portaria n.º 207-B/2014, o osteopata deve ser capaz de “prestar informação aos utentes e ao público com vista à promoção da saúde e prevenção das doenças, nomeadamente através do aconselhamento sobre posturas corretas, exercício físico e hábitos alimentares“. 

Deficiências nutricionais podem ter uma forte correlação com a dor músculo-esquelética e em que uma dieta anti-inflamatória pode ser o primeiro e maior passo para a melhoria da nossa capacidade de regeneração e recuperação. 

Os medicamentos anti-inflamatórios não esteróides são amplamente utilizados pela medicina como tratamento em praticamente todos os distúrbios músculo-esqueléticos, mas outras abordagens terapêuticas, tal como a suplementação alimentar podem ser aconselhadas pelos osteopatas como forma de complementar todo este processo de recuperação. 

Sobre o orador

Investigador no IPLUSO, Núcleo de Investigação em Ciências e Tecnologias da Saúde – NICiTeS – da Escola Superior de Saúde Ribeiro Sanches (ERISA). Doutorando em “Educação Física e Desporto”, ramo Atividade Física e Saúde na Faculdade de Educação Física e Desporto da ULHT. Mestre em “Exercício e Bem-Estar”, ramo Exercício, Nutrição e Saúde pela Faculdade de Educação Física e Desporto da ULHT

Diplomado em Osteopatia – Cédula Profissional nº 0100288 – ACSS
Diplomado em Naturopatia – Cédula Profissional nº 0300096 – ACSS

Voltar ao topo

Inscrição Não Associados

Para garantir a sua inscrição preencha o nosso formulário.

Inscrição Associados

Para garantir a sua inscrição preencha o nosso formulário.